Monday, Sep 23rd

Last update:11:32:16 PM GMTTT

Headlines:

Voce esta na pagina: Principal CICLISMO - ESTRADA NOTICIAS - ESTRADA Toyota lança bike futurística com transmissão a pensamento
 

Toyota lança bike futurística com transmissão a pensamento

Print PDF

A Toyota resolveu fugir um pouco da rotina automobilística e decidiu se aventurar no mundo do ciclismo. E ela pensou grande. E foi aí que ela percebeu a força que o pensamento tem. E com a união entre a Toyota (com o Toyota Prius Projects), a Parlee Cycles (fabricante de bicicletas customizadas) e a Deeplocal (especialistas em interfaces humano-digitais) foi criada a PriusXParlee, também conhecida como PXP. O projeto foi concluído em poucas semanas e cada avanço era relatado detalhadamente pelo Prolly Is Not Probably e também no site do projeto.

A Parlee desenvolveu a bike de fibra de carbono. Lindíssima, por sinal. Ela não é a bicicleta mais veloz (você não a verá em nenhum Tour de France, pode ter certeza), mas quem já fez um test ride diz que ela é bem balanceada, não é pesada e aprovou a performance dela, principalmente para ciclismo urbano ou passeio.

Mas a parte mais curiosa foi desenvolvida pela Deeplocal: o capacete. Ele contém neurotransmissores que fazem a captação de de ondas cerebrais e transfere o seu pensamento para um iPhone, definindo a marcha.

Antes de mostrar a força do seu pensamento enquanto já estiver pedalando, basta fazer uns testes antes e o capacete leitor de mentes se acostumará com as suas ondas cerebrais individuais em poucos minutos. Esse ajuste permite uma troca de marcha mais macia durante a pedalada.

É claro que nem tudo é tão fácil quanto parece. A mente precisa estar limpa e concentrada. Se o ciclista estiver lembrando do que viu no noticiário, repassando mentalmente a lista de supermercado e ao mesmo tempo pensando na mudança de marcha, o neurotransmissor terá dificuldade em ler o seu pensamento.

Caso prefira-se deixar a leitura de mente de lado, não se preocupe. O iPhone irá escolher as marchas de acordo com a cadência escolhida e batimentos cardíacos. A troca de marchas também pode ser feita manualmente, basta tocar a tela do aparelho.

Ainda não há planos para produção em massa da bicicleta PXP, mas toda a crítica tem feito elogios ao protótipo, o que é um bom sinal para que essa possibilidade se torne real. Dá para imaginar a estranheza que vai causar o fato de os ciclistas terem de lutar contra o instinto natural de passar a marcha manualmente.

 

Imagens: Divulgação

Fonte: Racquel Tomaz - Bemvindocicloturista.com.br